Insa – Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisas e Projetos

Desertificação e alterações climáticas no Semiárido brasileiro

Ação 03: Organização de sistemas camponeses de produção no Semiárido brasileiro: a convivência possível e necessária

Contato: Raul Ristow Krauser – MPA
Fone: (27) 3727-0055
Email: raul2308@gmail.com

O combate a desertificação e a degradação de terras na região semiárida deve ser entendida como uma prioridade para o País, uma vez que essa região abriga quase 23 milhões de brasileiros, dos quais 8,6 milhões residem no meio rural. O uso intensivo da terra é o principal vetor de degradação e desertificação na região e, nesse contexto, cabe ao Insa, que participa tanto da Comissão Nacional de Combate à Desertificação, como em nível internacional da UNCCD, procurar executar projetos que atendam demandas originadas da situação descrita. Projetos que almejem uma ação efetiva na organização de sistemas produtivos inovadores e que ao mesmo tempo proponham uma convivência sustentável com o semiárido devem ser fortemente orientados para fomentar e aperfeiçoar a organização comunitária. Esse aperfeiçoamento é necessário para que ações pontuais tenham um efeito multiplicador significativo, alcançando maior número de camponeses e espaços mais extensos. Projetos com esses enfoques parecem fundamentais para a manutenção e melhoria da renda dos camponeses, num contexto de preservação ambiental. Foi com base nesses conceitos que o Insa junto com o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) vem desenvolvendo o presente projeto que tem por objetivo geral a organização de sistemas inovadores de produção camponesa, visando a soberania alimentar, a comercialização e a convivência sustentável com o semiárido. O objeto central do projeto constitui-se de 500 famílias camponesas, experimentadoras distribuídas em comunidades rurais nos estados da Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Piauí, Ceará, Paraíba, Minas Gerais e Rio Grande do Norte, para a implementação de tecnologia de convivência com o semiárido, fazendo do exercício de aplicação prática e das atividades de pesquisa associadas, um processo de formação de lideranças e da massificação de atitudes de convivência sustentável com o semiárido nas suas comunidades.

Voltar