Insa – Instituto Nacional do Semiárido

Notícias

19.04.2017 Insa divulga dados do processo de desertificação nos Núcleos do Seridó e Cariris paraibanos
Imprimir

Mapa do Núcleo de Desertificação dos Cariris Velhos paraibanos
Mapa do Núcleo de Desertificação dos Cariris Velhos paraibanos

Os dados referentes aos dois Núcleos já divulgados estão disponíveis no Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento Brasileiro (Sigsab).

No Brasil, o Semiárido é a região mais atingida pelos processos de desertificação, é o que afirma a Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (UNCCD). Na região existem seis Núcleos de Desertificação sendo estes: Seridó (RN/PB), Cariris Velhos (PB), Inhamus (CE), Jaguaribe (CE), Irauçuba (CE), Sertão Central (PE) e Sertão do São Francisco (BA).

O Instituto Nacional do Semiárido (Insa), Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) divulgou, recentemente, o Monitoramento dos Núcleos de Desertificação do Seridó e Cariris Velhos. Tais núcleos abrangem 32 e 23 municípios, respectivamente, as áreas suscetíveis à desertificação, juntas, abrigam cerca de 300 mil habitantes.

Monitoramento da Cobertura Vegetal e Combate à Desertificação

Para o Núcleo do Seridó paraibano, os dados apontam que os solos expostos em 1990 representavam 4% (475,91 km2) do território, em 2015 esta mesma variável chegou a 1% (71,96 km2). Ou seja, nesse período houve uma diferença de 3% no percentual de solos expostos na região.

Significa dizer que, nesse Núcleo, dos anos 1990 para cá, observou-se a presença de cobertura vegetal em 3% da área que anteriormente havia sido identificado como solo exposto, ou seja, com cobertura vegetal ou nula ou muito baixa.

Na perspectiva da cobertura vegetal mais expressiva, em 1990 o Núcleo apresentava 5% (548,18 km2) das terras, já em 2015 os dados mostram que foi detectada 8% (846,82 km2) de cobertura vegetal, com percentual variando de 75 a 100%.

Mesmo apresentando uma melhora, na análise de variação da cobertura vegetal neste período, dos 32 municípios que compõem o Núcleo do Seridó, percebeu-se que alguns deles apresentaram uma perda de vegetação considerável (variando de 50% a 100%). Sendo eles: Caicó, Currais Novos, Frei Martinho, Picuí, Nova Palmeira, Pedra Lavrada e Juazeirinho.

No Núcleo dos Cariris paraibanos, as informações referentes a 1990 evidenciaram que, de todo o território, cerca de 5% (489,63 km2) representava a área de solos expostos naquela década. Já em 2016, os dados demostram que a mesma variável apresentou apenas 0,2% (18,93 km2) de solos expostos.

Desse modo, nota-se que também houve diminuição da área de solos expostos nos Cariris.

Por outro lado, a área de cobertura vegetal mais expressiva nesse Núcleo, que corresponde a 75% a 100% de vegetação, apresentou em 1990 uma estimativa de 7% (720,18 km2) das terras, enquanto em 2016 os números demonstram que apenas 1,1% (101,96 km2) da cobertura vegetal foi encontrada.

Em outras palavras, nos territórios mais conservados, houve diminuição da cobertura vegetal nesse Núcleo.

Na análise de variação da cobertura vegetal dos 23 municípios que compõem o Núcleo, percebeu-se que praticamente todos eles apresentam perdas de cobertura vegetal, com variação de percentual de  até 50%.

Os dados referentes aos dois Núcleos já divulgados estão disponíveis no Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento Brasileiro (Sigsab).

Laboratório de Geoprocessamento

O Laboratório de Geoprocessamento do Insa, através do Projeto Sistema de Monitoramento da Desertificação no Semiárido Brasileiro (Simsab), monitora a variação da cobertura vegetal em cada núcleo.

Para isso, a equipe utiliza técnicas de sensoriamento remoto para coleta, processamento e análise de imagens de satélite das áreas com referência geográfica.

Os dados utilizados são provenientes de imagens de satélites Landsat 5 (TM) e Landsat 8 (OLI), datados do fim do período chuvoso para cada núcleo, fornecidos pelo Centro de Previsões de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do  Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Projeto Simsab

O projeto Sistema de Monitoramento da Desertificação no Semiárido Brasileiro (Simsab), desenvolvido pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC), tem como objetivo o mapeamento da propensão e da ocorrência de desertificação no Semiárido brasileiro.

 

Texto: Ermaela Cícera Freire
E-mail: ermaela.freire@insa.gov.br

Voltar