Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento do Semiárido Brasileiro Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento do Semiárido Brasileiro
Insa – Instituto Nacional do Semiárido
Sistema
Avançado
Sistema
Básico

MONITORAMENTO DOS NÚCLEOS DE DESERTIFICAÇÃO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

A Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD,1994) define a desertificação como um processo que culmina com a degração das terras nas zonas áridas, semiáridas e subúmidas secas, e como resultado da ação antrópica intereferindo na relação entre clima, solo e vegetação, ocasionando o rompimento do equilíbrio desses três fatores que compõem o meio (Suertegaray,2011).

Globalmente, a desertificação incide sobre 33% da superfície da terra, onde vivem cerca de 2,6 bilhões de pessoas (42% da população total). No Brasil, as Áreas Susceptíveis à Desertificação - ASD concentram-se, predominantemente, na região Nordeste do país. Estas áreas foram determinadas seguindo os pressupostos norteadores da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação. O Semiárido brasileiro (SAB) com uma área de 980.133 km², distribuídos em 1.135 municípios, representa 76% da região semiárida do nordeste brasileiro, sendo considerada a maior área do mundo suscetível ao processo de desertificação (MMA,2017).

A susceptibilidade e risco de desertificação no Semiárido brasileiro ocorre de forma acelerada, resultante de fatores diversos, tais como as variações climáticas e as atividades humanas (ONU,1994). No Semiárido brasileiro, a desertificação, apresenta-se como:

- Degradação dos solos e recursos hidricos;

- Degradação da vegetação e biodiversidade;

- Redução da qualidade de vida da população afetada.

PROJETO SIMSAB

O projeto Sistema de Monitoramento da Desertificação no Semiárido Brasileiro - SIMSAB, em execução no Instituto Nacional do Semiárido - INSA, tem como objetivo o mapeamento da propensão e da ocorrência de desertificação na região semiárida do Brasil.

Dentre as atividades do projeto, vem sendo realizado um monitoramentosistemático dos Núcleos de desertificação. A área de estudo compreende os núcleos: Seridó (RN/PB), Cariris Velhos (PB), Inhamus(CE), Jaguaribe (CE), Irauçuba (CE),Sertão Central (PE) e Sertão do São Francisco (BA). Para tanto, este monitoramento prevê a extração do percentual de cobertura vegetal para cada núcleo, utilizando técnicas de sensoriamento remoto através do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada - NDVI em imagens de satélite Landsat 5 e 8.

NÚCLEOS

Seridó (PB/RN)

Cariris Velhos (PB)

Inhamuns (CE)

Irauçuba (CE)

Sertao S. Francisco(BA)

Sertão Central (PE)

Jaguaribe (CE)